Alternativas

Alimentação de qualidade para todos!

Alimentação de qualidade para todos!

Há muitas formas de fazer agricultura, e a agricultura biológica é bem conhecida em Portugal. Segundo as estatísticas 44% dos portugueses come regularmente frutas e hortícolas produzidos de acordo com essas regras, que proibem o uso de pesticidas e fertilizantes sintéticos e protejem a fertilidade do solo. Além disso, quatro em cada cinco portugueses acha que a política agrícola da União Europeia deve encorajar os agricultores a produzir mais alimentos biológicos. Só em três anos, o valor do mercado mundial…

Continuar a ler Continuar a ler

QUE FRAUDE NOS BIOLÓGICOS?

QUE FRAUDE NOS BIOLÓGICOS?

 

O artigo da Visão de 29.6.2017 aponta a presença de resíduos de pesticidas de síntese química em alimentos de agricultura biológica, onde estão proibidos. Foram detetados pesticidas em 21 dos 113 alimentos analisados (18,5% das amostras). Apenas um alimento (0,9%) tinha resíduos acima do limite máximo (LMR) legal para a produção convencional (caso do glifosato em couve-coração). Em cinco outros é referido que os teores estão acima dos níveis indicativos de possível fraude para a produção biológica (valores estes que são menores que o LMR).

Assim, os dados apontam para que, nas 113 análises, sete sejam de provável fraude (6,2%). Incluem-se as bagas Goji chinesas, que contêm 8 pesticidas diferentes – o que é inaceitável. Para os restantes 14 alimentos com pesticidas, os baixos teores apontam para contaminação adventícia ou importação de países onde as regras para o bio não são iguais. Ou seja, razões não fraudulentas.

O caso do glifosato é o mais estranho, pois este herbicida mata as couves em que for aplicado. A amostra devia ser testada de novo (para despistar erros) em laboratório com análises acreditadas (o Labiagro, escolhido pela Visão, indicava em documentação recente que as suas análises ao glifosato não estavam acreditadas).

Ao contrário do que se pensa, as normas comunitárias da agricultura biológica não garantem a ausência de resíduos de pesticidas de síntese química.

Práticas de proteção fitossanitária contra a broca do milho – alternativas ao cultivo de milho transgénico

Práticas de proteção fitossanitária contra a broca do milho – alternativas ao cultivo de milho transgénico

A principal lagarta do milho em Portugal, a broca (Sesamia nonagrioides) pode ser combatida por métodos não químicos (e sem transgénicos) já aplicados com sucesso noutros países: 1)    Captura massiva de adultos em armadilhas sexuais (20 armadilhas por hectare, com feromona sexual e pastilha inseticida) 2)    Atração e repelência (push-pull technology): cultura isco em bordadura do milho, à base de erva de Napier (Pennisetum purpureum) e/ou erva-do-Sudão (Sorghum sudanense); cultura repelente em consociação com o milho, à base de leguminosas…

Continuar a ler Continuar a ler

Mandioca: duas histórias

Mandioca: duas histórias

ACTUALIZAÇÃO EM 2010/10/04 – Uma equipa de cientistas alemães e colombianos publicaram esta semana na revista The Plant Cell a descoberta de uma variedade natural de mandioca em que, graças a uma única mudança no código de um gene particular, se verifica uma elevada produção de beta-caroteno. Este novo dado irá ajudar a guiar novos esforços de melhoramento deste alimento essencial. O artigo está pode ser lido aqui: Provitamin A Accumulation in Cassava (Manihot esculenta) Roots Driven by a Single…

Continuar a ler Continuar a ler