Activistas manifestam-se no Porto

Activistas manifestam-se no Porto

Porto, 2007/09/16 — Os Ministros da Agricultura da União Europeia reuniram-se este fim-de-semana no Porto, para uma reunião informal (no âmbito da presidência portuguesa), tendo como objectivo principal a discussão sobre o futuro da agricultura europeia. A Plataforma Transgénicos Fora organizou uma acção de rua neste Domingo, dia 16, que contou com a participação de cerca de 80 pessoas de diferentes faixas etárias, que exigiram o direito a optar pelo cultivo e consumo de alimentos livres de transgénicos. A Greenpeace Internacional deslocou-se a Portugal para apoiar esta acção.

A manifestação começou por juntar cerca de 50 pessoas às 13h, frente ao Hotel Sheraton, onde se encontravam alojados os ministros. Às 14h00 teve lugar a conferência de imprensa, junto à entrada principal do Hotel Sheraton, que contou com a participação da Professora Margarida Silva, coordenadora da Plataforma Transgénicos Fora e de Geert Ritsema, coordenador da campanha contra os OGM da Greenpeace Internacional.

A acção foi acompanhada pelo som dos Ritmos da Resistência, um gigantone com os olhos vendados pela EFSA (a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar), maçarocas de milho gigantes e um teatro satírico a denunciar o regime de patentes e a manipulação das multinacionais da agro-biotecnologia.

Após a conferência de imprensa, os manifestantes percorreram vários quilómetros pelas ruas do Porto até chegar à Avenida dos Aliados pelas 17h. Nos Aliados, juntaram-se à iniciativa centenas de transeuntes, que puderam assistir à peça de teatro, consultar informação sobre OGM e ouvir discursos ao megafone.

Geert Ritsema afirmou que “a agricultura é do povo e o povo não quer comer transgénicos”, referência que já tinha feita durante a conferência de imprensa. Margarida Silva salientou a importância de cada cidadão nesta luta, ao referir que “o consumidor é o mais poderoso nesta cadeia, é o que tem a capacidade de escolher ou não OGM, no prato ou no campo”.

Esta manifestação veio demonstrar que o número de pessoas que activamente lutam contra os OGM em Portugal está a aumentar. Tratou-se de uma das maiores mobilizações contra os transgénicos em Portugal, num país em que a participação activa dos cidadãos em prol de causas ambientais é muito reduzida. Na sequência desta acção, uma delegação da Plataforma Transgénicos Fora foi recebida no dia seguinte pelo Secretário de Estado da Agricultura.

Os manifestantes exigiram direito à opção – a opção por aquilo que é cultivado, a opção por aquilo que chega até aos seus pratos. Perante uma coexistência possível, esse direito só pode ser salvaguardado com um Portugal Livre de Transgénicos e com uma Europa Livre de Transgénicos.

Não à coexistência! Sim à resistência!

Abaixo pode ver algumas fotos desta acção:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.