O custo escondido de ser transgénico

O custo escondido de ser transgénico

Setembro de 2010 – Quando uma planta é alterada por engenharia genética e começa a produzir uma proteína transgénica, o seu metabolismo paga um preço. Este é talvez dos segredos mais bem guardados no comércio de transgénicos: quem é que gostaria de dizer que está a vender sementes mais “fracas” que o normal? Mas quando se fazem experiências minuciosas é isso mesmo que se encontra.
Em artigo científico recentemente publicado, especialistas chineses estudaram o impacto da engenharia genética em diferentes variedades transgénicas de arroz quando comparadas com uma variedade controlo não transgénica. E, quando as condições são exactamente iguais (no mesmo terreno, sem carga de insectos, etc), as variedades transgénicas podem produzir até 56% menos arroz do que o controlo. As explicações dos autores para estes resultados são de dois tipos: primeiro, ao produzir a proteína transgénica, fica menos energia disponível para produzir os bagos de arroz; e segundo, o processo de introdução do transgene pode interferir com os genes já existentes na planta e assim desestabilizá-la de diferentes formas, enfraquecendo-a. Os autores concluem com uma recomendação para a indústria dos transgénicos: precisam de “melhorar” a sua tecnologia!

O artigo pode ser descarregado aqui: Yield Benefit and Underlying Cost of Insect-resistance Transgenic Rice – Implication in Breeding and Deploying Transgenic Crops

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.