Soja transgénica causa mortandade em ratos

Soja transgénica causa mortandade em ratos

A investigação foi liderada pela cientista Dra Irina Ermakova do Instituto de Actividade Nervosa e Neurofisiologia da Academia Russa de Ciências, um respeitado centro de investigação nacional.
Utilizou-se farinha de soja transgénica (a mesma que está em circulação na União Europeia) resistente ao herbicida Roundup. Essa farinha foi adicionada à alimentação de ratas, com início duas semanas antes da concepção e manteve-se durante a gravidez, parto e amamentação. Um outro grupo de ratas, nas mesmas condições, foi alimentado com soja não-transgénica e num terceiro grupo a alimentação não incluiu qualquer soja.

Nos recém-nascidos alimentados com soja transgénica, 36% não conseguiram ganhar peso (nos grupos de controle essa percentagem foi de 6%). Ainda mais grave, 55.6% dos ratos nascidos das mães alimentadas com soja transgénica morreram no espaço de três semanas (nos grupos de controle a taxa de mortalidade foi de apenas 9% (com soja convencional) e 6% (sem soja)).

Segundo a Dra. Ermakova, “A morfologia e estrutura bioquímica dos ratos é muito semelhante à dos humanos, o que torna estes resultados muito perturbadores. Eles apontam um risco para as mães e respectivos filhos”.

FONTE: The independent, UK, 8 de Janeiro de 2006

IMAGENS: Nestas duas imagens podem ver-se dois ratos do estudo – o maior tem 19 dias e pertence a um grupo de controle, o mais pequeno tem 20 dias e pertence ao grupo alimentado com soja transgénica.

NOTA: Este trabalho já foi publicado numa revista científica russa com sistema de revisão (a referência completa é: Ermakova, I. (2006) Genetically modified soy leads to the decrease of weight and high mortality of rat pups of the first generation” EcosInform 1:4-9). A sua tradução está na página 41 deste documento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.