Milho Transgénico MON 810 – A reaprovação em marcha

Milho Transgénico MON 810 – A reaprovação em marcha

2009/06/30 – O milho transgénico MON 810 foi aprovado há cerca de 10 anos na União Europeia, tendo chegado agora a altura de ser reavaliado. Apesar dos muitos artigos científicos que apontam problemas (ver o nosso Centro Documental), a Autoridade Europeia de Segurança Alimentar, EFSA, publicou hoje à tarde um Parecer positivo. A EFSA é a entidade a nível europeu que tem o papel da avaliação científica (ambiental e sanitária) dos transgénicos. Como, em 42 pareceres que já emitiu desde a sua criação, todos foram favoráveis à comercialização desses transgénicos, este novo avale era uma inevitabilidade. O que, apesar de todo este enviesamento, foi inesperado, foi o tratamento preferencial, quiçá reverencial, que a EFSA teve para com a Monsanto. Enquanto que hoje de manhã a EFSA ainda se recusava a divulgar o documento, ontem a Monsanto já publicava um comunicado de imprensa a congratular-se com o seu conteúdo. Ou seja, a EFSA partilha amigavelmente os seus documentos internos com as empresas que são supostas estar a ser avaliadas de forma independente. A controvérsia que isto criou levou a EFSA a acabar por publicar o documento hoje ao final da tarde. Isto é a machadada final na credibilidade da EFSA, especificamente no seu painel OGM. Se esses cientistas não conseguem cortar o cordão umbilical que os liga às empresas, está na altura de serem substituídos por quem ponha o interesse público em primeiro lugar.

2 thoughts on “Milho Transgénico MON 810 – A reaprovação em marcha

  1. alimentos transgénicos
    Bons dias a todos os utilizadores deste blog
    É do conhecimento geral que este assunto tem gerado muita controvérsia tanto a nivel interno como na Europa. Na minha opinião seria necessário pôr numa balança os beneficios e os maleficios desta manipulação genética, e então sim tirar conclusões. Apesar destas sou da opinião que se deve dar a liberdade de escolha, nomeadamente a países que pelas suas caracteristicas geograficas a fome é uma presença diária, este tipo de semente poderia reduzir os problemas das colheitas.

    1. Re: alimentos transgén
      Caro Fernando Pereira,

      O Centro Documental da Plataforma Transgénicos Fora, que pode consultar em https://www.stopogm.net/?q=node/445, disponibiliza mais de 500 documentos sobre os mais variados aspectos desta temática. Convidamo-lo a ler, nesta página e noutras, e a construir a sua opinião. Concordamos em absoluto que deve ser dada liberdade de escolha a cada país, povo e região. Por exemplo, na União Europeia, os transgénicos são recusados pela esmagadora maioria da população e, como tal, devem ser retirados de todos os usos onde não exista liberdade de escolha: rações, restaurantes, cantinas, e todas as contaminações que a lei permite à revelia dos interesses dos cidadãos. Quanto a países em vias de desenvolvimento verifica-se que, onde é dada a palavra aos cidadãos, estes sistematicamente optam pelas sementes tradicionais pois são as únicas realmente adaptadas à sua realidade e não estão protegidas por patentes que obrigam a gastar dinheiro anualmente em direitos de propriedade intelectual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.